terça-feira, 11 de outubro de 2011

Va va vai com De De DEUS


Quando eu tinha 12 anos a professora fez para a classe a clássica pergunta “o que você quer ser quando crescer?” Enquanto se ouvia médico, advogado, engenheiro, jogador de futebol, eu não tive duvida e falei, Humorista. Respondi pensando em ser Juca Chaves, Ronald de Golias, Renato Corte Real, Walter Dávila, Zé Trindade, Jô Soares, Chico Anysio e Zé Vasconcelos. Todos meus ídolos da Record e da Tupi. Não perdia nada nunca. Desde sempre me lembro de ficar ouvindo e decorando piadas. Perdi a conta de quantas vezes ouvi os discos de Juca Chaves, Chico Anysio, e José Vasconcelos. Senti que poderia fazer isso da vida. Fazer as pessoas rirem. Decorei seu disco “Eu sou o espetáculo”. Ouvia e ia falando junto. A história absurda do italiano que vai a uma partida de futebol pela primeira vez sem saber o que era futebol, as imitações das quais ele era gênio e a platéia não ficava atrás. Ele imitava James Stuart e a platéia sabia quem era James Stuart. O locutor de futebol gago, que fez tanto sucesso, que deu origem ao personagem SaSilva que ele interpretou até o fim da vida. Até hoje ouço com minha mulher, e já chegamos a acordar os vizinhos de tanto rir. Zé foi uma influencia definitiva, não só pra mim, mas para Chico Anysio, Jô Soares e quem veio depois. Abriu essa porta num momento onde ninguém imaginava que isso seria possível. Um homem sozinho entreter uma platéia. Fez seus shows por anos. As filas davam voltas no Teatro Paramount para assistir “Eu sou o espetáculo”. Tanto é o meu respeito por ele que no dia que estreamos o Clube da Comédia eu dei a cada um do grupo o disco mais famoso do Zé. |E disse “ O que nós estamos pra fazer foi começado por esse grande cara, ouçam.” Me lembro que só Marcelo Mansfield sabia de fato quem era ele, os outros o conheceram ali, através daquele disco. Tentamos trazê-lo para a estréia, cheguei a falar com ele, mas por um problema de datas não tivemos essa sorte. O que importa é dizer da importância dessa pessoa maravilhosa, que ela nunca seja esquecida, que seus discos sejam ouvidos, que seus vídeos sejam vistos. Para que nunca se esqueça que apesar de todos os problemas que temos na vida sempre haverá loucos que acreditam que a vida com humor pode ser melhor. Zé era um desses loucos. O Melhor deles. Sua benção Mestre.

3 comentários:

Márcio Américo disse...

Voce tem razao, o texto do estadio é um italiano e não um portugues como postei no Facebook. Me identifico com teu texto. Lembro-me de ter decorado o disco do Ary Toledo e o repetia quando trabalhava na Coca Cola, eu era uma especie de atração entre os operarios... Devo muito a todos eles, incluindo, claro o grande ZÉ! RP

Lucas disse...

Bom Posto e concordo plenamente com você. Um dos Maiores Humoristas Do brasil que nós tivemos. O Certo é tirar esta Escolinha do Gugu do Ar Porque já matou 2 Humoristas.

Daniel Souza disse...

Márcio, grande perda, grande referência no humor brasileiro. Você disse tudo. Um abraço, Daniel